II Seminário Missões Com Crianças.

II Seminário Missões Com Crianças.
Participe e nos ajude a levar doações aos nordestinos em janeiro de 2018!

Translate/Tradutor

6 de março de 2012

VIOLÊNCIA CONTRA CRIANÇAS É CRIME!


Todos os dias, vemos nas redes de TV, nos jornais virtuais e impressos a triste informação de que crianças sofrem violência doméstica; e, para piorar, as agressões são ocasionadas pelos próprios pais em sua maioria. Acordem! Praticar violência contra uma criança é caso de polícia no Brasil. Nossos pequenos possuem uma legislação organizada em seu favor. O (ECA) Estatuto da Criança e do Adolescente determina punição aos que causam maus tratos aos nossos meninos e as nossas meninas. Entretanto, mesmo com uma legislação específica, segundo a (UNICEF) Fundo das Nações Unidas para a Infância, mais de 18 mil crianças são espancadas em nosso país sendo mais agredidas meninas entre sete e 14 anos.

Diante desta violência contra a criança, que cresce a cada dia, temos que nos preocupar bastante, porque nem sempre é caso de abuso sexual, mas de “abuso físico”. Isso, sem citar com profundidade os que sofrem de “negligência” e “abuso psicológico” como ameaças e ofensas.

Leiam-se, comportamentos como: agredir, sacudir ou dar palmadas, queimar ou escaldar, chutar ou sufocar. Bem, a primeira coisa é denunciar a um órgão público. Afinal, a “LEI DA PALMADA” virou lei mesmo e através do PROJETO DE LEI Nº 2654 /2003 da Deputada Maria do Rosário estabelece: “o direito da criança e do adolescente a não serem submetidos a qualquer forma de punição corporal, mediante a adoção de castigos moderados ou imoderados, sob a alegação de quaisquer propósitos, ainda que pedagógicos, e dá outras providências.”.

Deve ter leitor me perguntando... E a negligência? Bem, a negligência consiste em maus tratos que prejudique a saúde, o bem-estar ou a segurança de uma criança. Exemplo: deixar ferro ligado em fácil acesso, piscina sem cerca, janela sem grade, laje sem muro, indiferença à necessidade emocional, não dispor de alimentação adequada ou não levá-la a escola.

E o abuso emocional? Este afeta a autoestima da criança, submetendo-a a agressão verbal ou crueldade emocional como PALAVRAS DE AMEAÇA, prendê-la dentro de casa fechando as portas e janelas com cadeados (cárcere), disciplina exagerada, permissão para ingerir álcool ou drogas ou expô-la ao ridículo.

Outro abuso que é muito mais conhecido e rejeitado pela sociedade brasileira é o abuso sexual, que envolve contato sexual entre uma criança ou adolescente e um adulto ou pessoa mais velha. Afinal, como uma criança em desenvolvimento é capaz de entender o contato sexual ou resistir a ele? Um adulto não entende esta violência, dirá uma criança indefesa.

Como reconhecer um abuso sexual? Preste atenção a qualquer toque ou carícia imprópria de outra pessoa com seu filho ou filha. Não aceite comportamentos como incesto, molestamento, estupro de um parente próximo como seu companheiro ou outros. O contato oral-genital e carícia nos seios e genitais é inadmissível! Isso, sem contar com a violência verbal de fala imprópria. Preste muita atenção em quem pede para tirar fotos de seus pequenos para evitarmos a pornografia, expondo sem sua autorização a criança ou adolescente.

Espero ter ajudado um pouco. Eu sou contra a “lei do tapa” no sentido de tirar dos pais o direito de corrigir seus filhos. No entanto, diante dos exageros que vemos muitos pais cometerem... É bem melhor saber que meus filhos são resguardados pela “Lei da Palmada”.

Não faço apologia a nenhum político, mas não posso deixar de citar a Deputada Federal Liliam Sá que já provou ter competência para "brigar" pelos Direitos de nossas crianças e adolescentes. No mês passado, a Deputada pediu que fosse criada na Câmara, a CPI da Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes.

FOTO DO SITE: http://www.liliamsa.com/    
"A cada dia, surge um novo ponto de exploração. A grande arma desta CPI serão as denúncias, principal ferramenta para o combate à violência infanto-juvenil" 
Liliam Sá
Deputada Federal

No próximo artigo, trataremos de como ensinar nossas crianças a reconhecerem os abusos e nos ajudarem, enquanto tutores, a protegê-las. Quando digo, tutores, é porque a Palavra de Deus afirma que nossos filhos são herança do SENHOR e que só cuidamos deles.


Obs: Este post foi criado depois que lembrei de um relato de uma professora, que conheci num evento literário e que não quis se identificar. Nós não temos mais contato, porém, nunca esqueci o que ela comentou informalmente. "Jussara" (nome fictício) percebeu maus tratos em um de seus alunos provocado por agressões do irmão mais velho da vítima. A criança tinha dois anos na época e estudava na rede particular de ensino aqui no Rio de Janeiro há dois anos. A professora comunicou o fato a Direção, mas foi impedida de denunciar porque o dono da escola não queria perder os pais dos alunos como clientes e ameaçou acusá-la das agressões caso levasse o assunto a frente. ABSURDO!


PROFESSOR! NÃO ACEITE AMEAÇAS!
SEUS ALUNOS SÃO SUA RESPONSABILIDADE! 
EM CASO DE MAUS TRATOS... DENUNCIE. DISQUE 100!


EMPREGO SE ENCONTRA EM QUALQUER OUTRA ESCOLA QUE TENHA COMPROMISSO COM A EDUCAÇÃO E O BEM ESTAR DE SEUS ALUNOS.


 ALÉM DISSO: AMEAÇA INFUNDADA SE DESCOBRE!


Fonte:
http://www.fia.rj.gov.br/legislacao/leidapalmada.pdf


http://www.liliamsa.com


http://www.unicef.org.br/

3 comentários:

  1. Patricia parabéns pela iniciativa, acho que este assunto deveria ser mais explorado por todos nós!
    Quero dizer que não sou a favor da lei da palmada, acho que a legislação e o poder judiciário de nosso pais ainda está longe de colocar em prática uma lei como esta sem cometer injustiça ou equívocos grosseiros.Além disso eu mesma e você sabe pois já relatei em meu facebook,fui afrontada por meu filho de cinco anos que soube desta lei da palmada,todos que me conhecem sabe que sou uma ótima mãe modéstia a parte e que não sou a favor da violência infantil,que não tolero nenhum tipo de abuso contra criança ,mas quero exemplificar aqui uma coisa que aconteceu comigo, meu filho Gabriel estava gritando na igreja então eu o retirei do templo e falei severamente olhando nos olhos dele ,que se ele não parasse de gritar eu ia coloca-lo de castigo sentado na escada ,ele simplesmente me deu um tapa na cara e disse que poderia coloca-lo de castigo agora .Eu dei um tapa no bumbum dele e o coloquei de castigo ,agora imagina se eu vou permitir que uma criança criada com todo amor,carinho,respeito e cuidado bata na minha cara
    Peço aos pais que fale com seus filhos sobre seus direitos, mais também sobre seus deveres, para que eles nunca faltem com respeito aos seus professores ,avós ,tios ,irmãos ...
    Como cristã deixo uma citação do livro de provérbios que tenho sempre lido e tem dado muito certo com meus 4 filhos supermega abençoados rsrsrsrs

    No caminho da sabedoria te ensinei, e por veredas de retidão te fiz andar.Por elas andando, não se embaraçarão os teus passos; e se correres não tropeçarás. Provérbios 4.11e12

    Ensine e seja exemplo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Seu comentário só ajudou a completar minha postagem. A participação de mães nos comentários só ilumina o artigo. Obrigada Denise. Ser mãe de quatro filhos não deve ser mole não. Parabéns!

      Excluir
  2. Abuso infantil é um absurdo, este post é esclarecedor, muito bom essa abordagem temos visto cada coisa que só Deus.
    Parabéns vc e todas as seguidoras do blog pelo dia internacional das mulheres.

    ResponderExcluir

Agradecemos o seu comentário. Ele será publicado, após moderação. Lembre-se de que crianças acessam este espaço, então, comente com educação e respeito. Não deixe de nos visitar novamente. Divulgue os textos com os devidos créditos. Se houver alguma foto de sua autoria, nos informe pelo e-mail com link para averiguação. Muitas das fotos aqui expostas foram tiradas das imagens do Google. Obrigada!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Google+ Badge