II Seminário Missões Com Crianças.

II Seminário Missões Com Crianças.
Participe e nos ajude a levar doações aos nordestinos em janeiro de 2018!

Translate/Tradutor

29 de novembro de 2012

DIA MUNICIPAL DE COMBATE À VIOLÊNCIA INFANTIL.

FOTO GOOGLE

Dia 22 de novembro foi Dia Municipal de Combate à Violência Infantil, instituído pela Lei nº 4.461, de autoria da Deputada Federal Líliam Sá na época em que era vereadora da Cidade do Rio de Janeiro. A Lei de 2007, incluiu no Calendário Oficial do Município, o Dia Municipal de Combate à Violência Infantil. Muitos nem ligaram muito sobre isso. Nos blog's e sites, pouco se tratou a respeito, salvo, os blog's infantis ou Ong's.

A verdade é que precisamos acabar com esta ação cruel e covarde e isso só é possível denunciando. Em vários estados do Brasil, infelizmente, ocorre não só o abuso e a exploração, mas também a violência física de inúmeras crianças e adolescentes do nosso país. Os acusados são festeiros, que promovem encontros com bebidas alcóolicas e, geralmente, eram conhecidos na cidade onde são acusados.

Durante essas festinhas... Jovens são violentadas ou drogadas. Os meios de comunicação tem revelado vários casos, mas os crimes, muitas vezes, não são esclarecidos. A impunidade causa indignação, descrédito e revolta. "O Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes impõe que, anualmente, seja reafirmada a responsabilidade da família, da sociedade brasileira e do Estado em garantir os direitos humanos, fundamentais e da personalidade de todas as crianças e adolescentes brasileiros." - afirmou a página da Deputada em seu perfil II no Facebook.

Sem dúvida, a ação das políticas públicas pode ser direcionada não apenas como medida curativa, mas principalmente preventiva. Daí, a importância do Estatuto da Criança e do Adolescente. Lembre-se: violência é qualquer conduta que implique em ignorar, ofender, humilhar, oprimir, explorar, machucar e/ou negligenciar a integridade física, moral e intelectual de criança ou adolescente.
 
Essa violência pode pode ser: física, moral ou intelectual. É necessário identificar o agressor e denunciá-lo sempre, mesmo que seja um parente. As políticas públicas estão aí, é preciso conscientizar e mudar este quadro de violência que afeta nossas crianças e adolescentes. É preciso envolver os membros da família e pessoas que atuem com crianças e adolescentes. 
 
Vamos mudar maus hábitos e protejer nossos pequenos, a erotização precoce (vestir crianças como adultas), uso de substâncias entorpencentes (beber ou fumar na frente delas) e o consumismo desnessário (que ajuda a quererem sempre mais sem se satisfazerem com nada) precisa ser combatido como prevenção de maus hábitos que as tornarão reféns daqueles que tentarão se fazer de amigos para se aproveitar delas. Nenhuma criança ou adolescente merece ser alvo de agressores. Temos como protejê-las com prevenções simples. Melhor orientar agora, do que chorar depois!
 
Para maiores detalhes sobre a Deputada Federal Liliam Sá:

deputadafederal@liliamsa.com 
http://www.liliamsa.com
CORRESPONDÊNCIA: Câmara dos Deputados, Anexo IV, gabinete 434, 70160-900 Brasília

18 de novembro de 2012

BRINQUEDOS EDUCATIVOS OU BRINQUEDOS DA MODA?


Sempre gostei de comprar brinquedos aos meus filhos. Quando eu era pequena, os meus pais não podiam gastar com brinquedos, pois roupas e livros eram caros demais e preferiam me vestir e dar cultura do que me encher de brinquedos. Entendo e agradeço a opção que fizeram por mim, mas confesso que amava ganhar brinquedos e sonhava sempre em ter uma bicicleta. Sonho, pasmem, que até hoje não consegui realizar. Não que não tenha dinheiro para comprá-la, mas é que preferi dar a bicicleta ao meu filho mais velho e ele nem curtiu tanto como eu curtiria aos sete anos de idade.

Hoje, quando penso em comprar brinquedos, penso logo em um que seja educativo. Penso que seja mal de professor. Quer ensinar a todo custo. Participar do conhecimento do outro de alguma maneira. 

A postagem de hoje se reflete em minha frustração com alguns brinquedos educativos. Meses atrás, eu comprei um ônibus de madeira com encaixes (pinos) para colocar na parte superior. Na loja achei o maior barato e estava dentro da faixa etária de meu bebê, que na época tinha oito meses (hoje, um ano). Achei o máximo o jeito dele tirar e colocar os pinos nos lugares certos e me descuidei, por um instante, olhando para TV. Foi o suficiente para que o meu filho mais velho gritasse: "Mãe, o Miguel!". Quando olhei, um dos pinos do ônibus estava preso entre o céu da boca e os dois dentinhos da frente. Ele não conseguia engolir e nem colocar para fora e isso causou vômitos.

Um instante (e leia-se, geralmente, brinco junto... Faço questão, mas neste dia... Acreditei no selo de qualidade, no tamanho do brinquedo, na faixa etária...) e tive a certeza de que brinquedos educativos, às vezes, podem ser perigosos. Por isso, minha sugestão de hoje: ainda que tenha a certeza de que é seguro. esteja sempre com seu bebê e observe-o com qualquer tipo de brinquedo. 

Farei uma ressalva aos destemidos "brinquedos da moda", que muita gente descrimina e confronta pedagogicamente. O Natal está próximo e você vai se deparar nas lojas com "zilhões" de opções de brinquedos e vai se perguntar se pode ou não dar a esta ou aquela criança.  Se vale ou não à pena comprar, se a criança irá gostar, quebrar em menos de 24 horas ou ter cuidado e adorá-lo de primeira, brincando exaustivamente no dia de Natal e demais dias após... Os "brinquedos da moda", às vezes, valem mais a pena que os educativos. No entanto, ainda acredito que os educativos tem muito a oferecer.

Então... Ou você escolhe e espera a reação da criança presenteada ou compra o que ela pedir e veja a sua reação quanto a isso. O importante é que brinquedos educativos ou não... TODA CRIANÇA MERECE GANHAR UM!

15 de novembro de 2012

UNIVERSO DO MUNDO INFANTIL É PREMIADO COM DIVULGAÇÃO.



Quero agradecer à MAGDA MOREIRA do site Agenda dos Blog's pela divulgação e reconhecimento de nosso trabalho aqui no UNIVERSO DO MUNDO INFANTIL. Nosso blog foi reconhecido e divulgado e, desde então, teve um acréscimo considerável em suas visitações.

Muito obrigada a todos que nos incentivaram na criação do UMI e continuam escrevendo e-mail's e deixando comentários. Só Deus para os abençoar. O nosso UNIVERSO DO MUNDO INFANTIL foi criado em janeiro deste ano. Temos muito o que comemorar.

AGENDA DOS BLOGS

9 de novembro de 2012

BEBÊS E CRIANÇAS E OS CUIDADOS COM A BOCA.


Uma das coisas que sempre me preocupa em relação aos meus filhos é a higiene bucal, pois desde pequena sofro com a fragilidade de meus dentes. Minha amada mãe, já com o SENHOR, me entupia de doces e eu amava, claro, mas não havia ninguém que orientasse a escovar os dentes em seguida. Resultado, aos 12 anos, eu já era frequentadora assídua de dentistas e colocava meu primeiro aparelho nos dentes. Tortura total!

Meu objetivo com esta postagem é proporcionar experiências de aprendizagens em relação à higiene bucal e ajudar às mães e educadores a orientarem melhor crianças, para que elas possam aprender a perceber a boca, a língua e, posteriormente, os próprios dentes.

Meu bebê Miguel de um aninho, já usa o Dedal de silicone desde que os primeiros dentinhos apareceram; com Adriel, sete anos, não foi diferente. A diferença é que Miguel eu controlo mais e Adriel está na fase de comer doces e termos que lembrar que precisa escovar os dentes após a "comilança" dos doces ou outros alimentos. Daí, vem a chateação... Crianças não gostam de escovar os dentes após comerem seus doces, pois o gosto sai da boca... É o que diz o meu.

Mesmo assim, eu envio escova de dente, pasta e toalhinhas de mão na lancheira da escola todos os dias e, todos os dias, fico chateada, pois ele não escova e só vem cuidar dos dentes quando chega em casa. Resultado: duas cáries apareceram nos dentes de trás que são mais profundos e "seguram" os alimentos.

Daí vem a segunda maratona: buscar um Odontopediatra. Bem difícil, aliás!

Antes, deixa eu deixar com vocês um dica de como limpar os primeiros dentinhos do bebê e não ser mordido como eu ainda sou mordida pelo meu bebezinho. 

Primeiro: é melhor apoiar a criança nos braços, em cima do trocador e fazer a higiene bucal com gazes molhadas quando não tiver nenhum dentinho (ajuda a língua a não ficar suja e nem grudar restinhos da nata do leite de peito ou do que foi dado na mamadeira. Limpe, suavemente, a gengiva e a língua após as mamadas. 

Com o aparecimento dos primeiros dentes, o uso das gazes deve ser substituído por dedal de silicone com cerdas. É o que eu uso com Miguelzinho.


FOTO do site: farmaciaturcifalense.com 
Molhe o dedal com água e massageie os dentes e gengivas suavemente. Seque a boca do bebê. Enxague o dedal e o seque também.

Semana que vem, eu já irei mudar o dedal de silicone por uma escova de dente apropriada a crianças com seis dentinhos, pois tenho levado algumas dentadas nada vagarosas...

Se a criança fica em creche, o trabalho de higienização continua com o Educador, que fará o procedimento de higiene, conversando com a criança sobre o que está fazendo. Isso ajuda a não ser mordido. Acreditem! 

Quando eu trabalhei na Escola Marca Viva, Unidade Jacarepaguá, o que me ajudava a não ser mordida na hora da escovação era uma boa conversa e vários sorrisos. E, após, lavar a escova, enxugá-la e “convidar” a criança a guardar tudo na “ necessaire”colocávamos todos para dormir, o que acalmava os resistentes a escovação. Uma forma de ganhar a confiança das crianças nessa hora é familiarizá-la quanto ao uso de escova e toalha de mão individual.

A Escola Marca Viva realizava palestras com os pais, levando odontopediatras para melhor orientá-los também e ajudar as educadoras a conseguirem progressos nesta hora de higiene. Sensibilizar a família quanto à importância da higiene bucal desde os primeiros anos de vida é fundamental e é isso que esta postagem deseja orientar.

Aos educadores que lidam com crianças maiores como meu filho de sete anos, deixo a indicação do filme: "Dr. Dentuço: A lenda do reino dos dentes", que é muito proveitoso e meu filho adora.



DICA IMPORTANTÍSSIMA:

Não utilize a escova de dente como material para atividades de pintura, pois a criança não consegue distinguir a função da mesma para atividades diferentes.

Acesse e obtenha mais informações nos link's abaixo:







Leituras importantes:

MARIA CLOTHILDE ROSSETTI FERREIRA (ORG) et. Os Fazeres na Educação Infantil /. 5 ed. – São Paulo: Cortez, 2002

JUDIT FALK (org). Educar os três primeiros anos: a experiência de Lóczy. Araraquara: JM editora, 2004

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Google+ Badge